Senadores rejeitam redução do número de suplentes

Apesar de política fugir ao propósito deste site, não há como negar que nossas vidas sofrem influência direta desta, logo, alguns fatos não podem passar despercebidos. Este é um deles, em pleno movimento popular por mudaças (que perdeu o rumo, é verdade), parece que os políticos debocham do povo, mostrando que estão alheios aos anseios de quem os colocou lá na condição de representantes.

PEC também previa a proibição de parentes de sangue de até segundo grau ficassem nos cargos

A “agenda positiva” inaugurada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros(PMDB-AL), após a onda de manifestações populares sofreu um revés na noite desta terça-feira.

A proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduzia o número de suplentes, de dois para um, e proibia que parentes de sangue de até segundo grau ficassem nessas posições foi rejeitada pelo plenário.

O projeto, de autoria de José Sarney (PMDB-AL), teve apenas 46 votos favoráveis e necessitava da aprovação de, no mínimo, 49 senadores. A matéria teve 17 votos contrários e uma abstenção.

Antes de ver a ideia derrotada, Sarney defendeu a aprovação da PEC em plenário, dizendo que a existência de dois suplentes “é uma situação que só ocorre no Brasil e acaba servindo para composições políticas espúrias e não para o benefício das instituições”.

Matéria veiculada em Zero Hora de 09/07/2013

Informação complementar:
Passados 2 dias após a primeira votação, que culminou no resultado acima, voltaram atrás e aprovaram o texto praticamente na integra. Isso me mostra 2 coisas:
1. O povo tem o poder para mudar;
2. Como eu desconfiava, a maioria do pessoal que esta no governo não faz a menor idéia do que esta fazendo lá, muito menos da realidade e do que esta acontecendo no país. Vivem numa cúpula isolada do mundo, feita por eles para eles.

Esta entrada foi publicada em Desgoverno. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *