É vero

Hmmm…

Depois de muito refletir do alto da minha esquizofrenia (sim, por mais assustador que isso possa parecer, eu já conversei com vários de vocês mais de uma vez dentro da minha caixola, apenas não falei em voz alta porque não faria o menor sentido), cheguei à conclusão de que as pessoas não estão preparadas para a verdade.

Por mais que peçam sinceridade, esperam no máximo meias verdades, palavras relativizadas de uma realidade que, crua, corta o coração. Não confunda isso com falta de tato, pois já testei de várias formas: diretamente (também conhecido como “ser grosso”), medindo palavras, desenhando, mas sempre obtive o mesmo resultado: mágoas, mesmo quando não era mero coadjuvante dentro de um contexto onde pediram uma simples opinião. A mentira (já vi com outros nomes, como política) continua realmente sendo (e provavelmente sempre será) o necessário cimento social.

Ainda bem que em 2152 o Capacitor de Fluxo finalmente se tornou viável comercialmente, e utilizando minhas estalecas, ebits e smiles consegui um seminovo. Agora posso voltar aos finados anos 90 e dizer à Laura que ela sempre foi a mulher da minha vida, mas infelizmente lhe falta colhões (perigoso isso), à Fabiane que tudo passa, até a uva, mas atitudes são necessárias para o processo de industrialização, e não apenas se queixar de pagamento em vida de pecados cometidos, e à Emanuelle (ah, Emanuelle) que tudo tem limite, mesmo não  tendo.  É bem verdade que eu deveria ter ficado com a pílula azul, mas a vermelha parecia tão mais apetitosa…

Àqueles que não entenderam nada assim como eu, só posso dizer lamento, e que provavelmente é efeito do gás lacrimogêneo que inalei na manifestação contra o Comando Central que não participei.

Vida longa e próspera.

Esta entrada foi publicada em Pensamentos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *